06. agosto 2013 · Comentários desativados em Mabu assume gestão do Iloa Resort (AL) · Categories: Hotelaria de Fato · Tags: , ,
Mabu Iloa Resort, em Alagoas (foto: divulgação)

Mabu Iloa Resort, em Alagoas (foto: divulgação)

O Iloa Resort, instalado em Barra de São Miguel (AL) e anteriormente administrado pelo BHG (Brazil Hospitality Group) passa para a gestão da paranaense Mabu. O empreendimento é o sétimo hotel a integrar o portfólio da rede e o primeiro Mabu no Estado do Alagoas.

Rebatizado Mabu Iloa Resort, está instalado numa área de 90 mil metros quadrados, o Mabu Iloa Resort é parte do complexo imobilário da Vivendi Empreendimentos, que engloba também um Condo Resort e o Iloa Residence, com previsão de expansão na parte residencial.

Leia mais em HÔTELIER NEWS

06. agosto 2013 · Comentários desativados em Gramado (RS), suspende por 90 dias a entrada de novos hotéis · Categories: Hotelaria de Fato · Tags: ,

Terceiro destino turístico no Brasil, o predileto dos adoradores de chocolate, lareiras crepitantes e flocos de neve, Gramado está apreensivo quanto ao futuro. No dia 25 de julho, a prefeitura tomou uma decisão tão inesperada como extrema: não analisará projetos para a construção de novos hotéis nos próximos três meses. Motivo: replanejar a cidade, evitar que seja desfigurada por prédios que já assomam entre as montanhas e ameaçam a bucólica soberania das torres das igrejas.

Ao suspender a aprovação de novos hotéis com mais de 30 unidades por 90 dias, a prefeitura reestudará o plano diretor. Uma comissão de arquitetos e urbanistas irá propor regras, consultar a população e os empresários. Então, será enviado um projeto de lei com mudanças à Câmara de Vereadores.

Ex-presidente e atual vice do sindicato, Júlio Manoel Cardoso diz que os 140 hotéis e pousadas existentes operam abaixo do desejável. É certo que superlotam em época de Natal Luz, Festival de Cinema, Páscoa e previsões climáticas de neve. Lotam aos finais de semanas. No entanto, ao longo do ano, a taxa de ocupação oscila entre 40% e 42% — aquém do ideal de 65%.

Leia mais em ZERO HORA

17. julho 2013 · Comentários desativados em Conheça os hotéis marcados pela morte de famosos · Categories: Hotelaria de Fato · Tags: , , ,
The Fairmont Pacific Rim

The Fairmont Pacific Rim

Algumas mortes estranhas e prematuras aconteceram em hotéis pelo mundo, essa matéria relata as mais famosas, do hotel The Fairmont Pacific Rim, com a morte do ator Cory Monteith, ao hotel Landmark, palco da morte Janis Joplin.

Em 13 de julho de 2013 o ator Cory Monteith foi encontrado morto em seu apartamento no hotel The Fairmont Pacific Rim em Vancouver.

Janis Joplin estava gravando o que seria seu último álbum em outubro de 1970 quando morreu vítima de uma overdose acidental de heroína no quarto do hotel Landmark (agora Highland gardens) em Los Angeles aos 27 anos de idade.

No dia 4 de abril de 1968, o líder americano Martin Luther King foi assassinado na sacada de seu quarto no motel Lorraine em Memphis, ele tinha 39 anos de idade.

O ícone da moda Coco Chanel, morou durante 30 anos em uma suíte no hotel Ritz em Paris e nesse mesmo quarto ela faleceu aos 87 anos em 1971.

Leia mais em GARIMPO DO FIL

17. junho 2013 · Comentários desativados em Manaus ganha seis novos hotéis para atender demanda da Copa do Mundo · Categories: Hotelaria de Fato · Tags: , , ,

Copa de 2014 se aproximando e Manaus ainda necessita de maior oferta de hotéis para hospedar turistas nacionais e internacionais que vão desembarcar na capital.

Normalmente no mês de junho, época da Copa 2014, a Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) registra 50 mil visitantes na cidade. Os turistas por ocasião dos jogos serão adicionados a este número. Para atender a demanda, seis novos hotéis devem ser  inaugurados até a realização do mundial conforme a Amazonastur.

A um ano da Copa, cinco dos seis novos empreendimentos estão em fase de planejamento e construção. Matéria divulgada no G1

Leia mais em G1

16. janeiro 2013 · Comentários desativados em Estudo revela as principais cidades que terão super oferta após a Copa do Mundo · Categories: Hotelaria de Fato · Tags: , ,

Um levantamento realizado pelo FOHB – Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil, em parceria com a HotelInvest e com apoio do SENAC São Paulo revelou que diversas cidades do Brasil como, Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Manaus, Porto Alegre, Recife e Salvador, poderão sofrer com a super oferta de hotéis pós Copa do Mundo.

A oferta de hotéis aumentou significativamente. Até o ano de 2015, estão previstos 26.626 novos quartos de hotel nas 12 cidades que sediarão os jogos, 26% a mais do que o atual.

Leia mais em REVISTA HOTEIS

07. janeiro 2013 · Comentários desativados em A australiana International Interiors iniciou suas operações no Brasil · Categories: Hotelaria de Fato · Tags: ,

A rede é especializada em móveis e decoração para hotéis de três a seis estrelas. Apresenta uma equipe de design e desenvolvimento concentrada em diversos países, como Espanha, Itália, Emirados Árabes e Austrália, enquanto a fabricação se encontra dividida entre China, Espanha e Itália.

“Nosso 11º ano de atividades será comemorado com o início das operações no Brasil. Somos a primeira multinacional do ramo a se instalar aqui. Estamos muito otimistas. Em breve, anunciaremos nosso escritório próprio no país. No decorrer do ano, teremos um depósito e, em dois anos, teremos uma fábrica própria no Brasil”, adianta o diretor da empresa, Dominic Tam.

Leia mais em PORTOGENTE

18. dezembro 2012 · Comentários desativados em A Hotelaria em São Paulo · Categories: Artigos, Hotelaria de Fato · Tags: , , ,

Por João Luís de Almeida Machado

A capital dos paulistas é o maior centro hoteleiro do país. Conheça a realidade do município quanto a leitos, percentual de ocupação e preços médios de suas diárias.

São Paulo é a cidade dos negócios. Sua indiscutível vocação para abrigar eventos que atraem investidores e empresários de todo o país e do mundo, numa época em que a economia do país tem se mostrado consistente e em expansão, apesar dos índices mais recentes demonstrarem que tivemos em 2012 um crescimento tímido e que em 2013 continuaremos nessa marcha lenta, torna a capital dos paulistas um centro importantíssimo para o mercado hoteleiro nacional.

Diferentemente de outras praças, como o Rio de Janeiro ou Salvador, cidades nas quais há, certamente, o interesse relacionado ao business em diferentes setores, mas nas quais o turismo tem peso acentuado enquanto fator de atração para visitantes, São Paulo tem maior procura por leitos durante a semana, justamente por conta de seu maior fator de atração, as reuniões envolvendo interesses profissionais.

De acordo com dados de 2011, auferidos pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), São Paulo tem aproximadamente 73,5 mil leitos, num universo de 972 estabelecimentos, o que equivale a 19,7% do total nacional. Acima, portanto, da somatória da segunda e terceira colocadas neste levantamento, as capitais dos estados do Rio de Janeiro e da Bahia, que juntas têm cerca de 68 mil leitos.

Durante a semana a Avenida Paulista, coração da maior metrópole brasileira, tem intenso movimento a retratar esta movimentação econômica que responde por cerca de 1/3 da economia do país. E este movimento cada vez mais se espalha pelos quatro cantos do município e tem repercussões nas cidades vizinhas que compõem a região conhecida como Grande São Paulo, reforçada pelo ABC paulista, igualmente vigorosa economicamente, com municípios populosos e em expansão em suas indústrias, comércio, serviços e produção agrícola. Cidades como Guarulhos, Diadema, Santo André, São Bernardo, São Caetano, Barueri e tantas outras aceleram ainda mais a metrópole paulistana.

Esta intensidade, conforme visto, é atendida somente em São Paulo, por quase mil hotéis, de diferentes categorias, dos econômicos aos luxuosos, passando, é claro, pelos intermediários. A taxa média de ocupação destes estabelecimentos de hospedagem no município varia de acordo com a faixa em que se encontram os hotéis e pousadas. De acordo com dados que constam na pesquisa da Revista Hotéis, especializada no segmento, em 2011, entre os estabelecimentos econômicos, ficou na faixa de 80%. O segmento Midscale ou intermediário, por sua vez, teve taxa média de ocupação de seus quartos/leitos de 67% no mesmo ano. No caso dos hotéis de luxo, ou o chamado segmento Upscale, o percentual chegou a 71% na média.

A capital paulista teve, portanto, no somatório dos resultados e obtendo-se uma média entre os três segmentos de hospitalidade levantados nesta pesquisa, ao longo do ano de 2011, uma taxa de ocupação de 72,6%. Esta média é reflexo, em especial, do movimento registrado nestes hotéis durante a semana. São Paulo, apesar de oferecer nos finais de semana os melhores e mais diversificados programas culturais e gastronômicos do Brasil, não tem o apelo turístico necessário para também nestes dias, manter altas as taxas de ocupação de seus estabelecimentos de hospedagem. A organização de feiras, congressos e eventos contribui para aumentar o fluxo, mas é atemporal e varia de acordo com o nível de interesse despertado pelos eventos. Ainda que possua museus e exposições culturais, além de um variado e rico acervo de shows e apresentações teatrais e que isso atraia visitantes, nos finais de semana a queda já é prevista pelos estabelecimentos, o que provoca, inclusive, queda no preço das diárias.

A propósito destas diárias, é importante destacar que na pesquisa realizada pela Revista Hotéis, também os valores médios dos diferentes setores de hospedagem da cidade de São Paulo foram auferidos. Para se instalar em um hotel econômico de São Paulo, em 2011, o custo médio era de R$ 129,00 (cento e vinte e nove reais). Se o hóspede buscasse um estabelecimento intermediário ou midscale, este preço subiria para R$ 177,00 (cento e setenta e sete reais). Serviços prestados pelos hotéis de luxo na capital paulista ficaram, em média, na faixa dos R$ 333,00 (trezentos e trinta e três reais) a diária.

Vale ressaltar que os custos das diárias são calculados quanto à média dos estabelecimentos de cada nível de hospedagem, havendo variações que nos permitem encontrar preços mais baixos ou mais altos. A taxa de ocupação também é variável de uma instalação para outra, mas os dados apresentados representam um retrato médio que nos permite perceber que há espaço para crescimento, em especial nos finais de semana, mas que isso custará aos paulistas melhorias quanto ao transporte em sua capital (perde-se muito no trânsito; os serviços de transporte público precisam ser melhorados, como por exemplo, a partir da ampliação do metrô e dos serviços de trens intermunicipais, além de mais e melhores ônibus), a segurança nas ruas e uma melhor divulgação do município e de seus vários eventos profissionais ou de entretenimento.

São Paulo pode ser ainda maior e melhor quanto a seus serviços de hospedagem e os números estão aí para provar isso e desafiar as autoridades e empresários do setor turístico e hoteleiro a quebrar as barreiras e resistências que ainda persistem em impedir este avanço.

João Luís de Almeida Machado é Doutor e mestre em educação, graduado em história, escritor e membro da Academia Caçapavense de Letras, atua no ramo de gastronomia e hotelaria como pesquisador, jornalista e professor. Consultor da QI Profissional.

26. novembro 2012 · Comentários desativados em 5 serviços essenciais para a homepage de hotéis e pousadas · Categories: Artigos, Hotelaria de Fato · Tags: , ,

Por João Luís de Almeida Machado

A internet se integrou ao universo da hotelaria assim como a todos os serviços e produtos que existem no mundo. Isso não é novidade, pelo contrário, apesar de seu advento datar, comercialmente, da metade da década de 1990 em diante, o portfólio de atendimento virtual parece ser algo incorporado ao cotidiano de todos há muito mais tempo. Do internet banking as grandes lojas de varejo, dos vídeos on-line a compra de automóveis ou imóveis, de cursos a distância a encomendas de alimentos pela web, praticamente todos os segmentos atendem as pessoas em suas necessidades, das básicas as mais extravagantes, através de canais na internet.

Não é possível, é claro, para estabelecimentos de hotelaria, pela internet, suprir sua clientela quanto ao que lhe é mais específico, ou seja, acomodar pessoas. No entanto, seja qual for o tamanho do estabelecimento, é preciso dispor pela web, de alguns serviços básicos que facilitem a chegada do hóspede ao hotel. Destacamos, a seguir, alguns serviços essenciais que devem constar no menu dos hotéis e pousadas virtuais, confira:

1- Informações gerais do estabelecimento: Neste caso constam dados como endereço, telefones de contato (para reservas, atendimento, reclamações), mapa para localizar e facilitar o acesso (utilize serviços como o do Google Maps), fotos do hotel (quartos, restaurantes, piscinas, quadras, áreas de recreação…), dados do cardápio (o que é oferecido? Serviço de Quarto? Restaurante especializado?) e, até mesmo, se possível, um pequeno vídeo de divulgação do estabelecimento.

2- Serviços de comunicação on-line: Integre-se de vez a internet e disponibilize através de canais de comunicação como o Skype ou chats a possibilidade do cliente conversar com atendentes do hotel que possam tirar dúvidas, facilitar reservas, cancelar hospedagens, informar sobre serviços…

3- Serviço de reservas on-line: Além de disponibilizar atendimentos telefônicos ou via comunicadores (Skype ou Chats) que possibilitem aos clientes realizar reservas no hotel, é importante que exista uma ferramenta na homepage do hotel que permita adiantar o expediente através do preenchimento de formulários virtuais de hospedagem. Este recurso precisa estar vinculado a algum sistema de cobrança on-line, como é feito em outros segmentos de venda de produtos ou serviços, para que ao final da reserva, o contratante dos serviços tenha que adiantar o pagamento, o que garante maior segurança para o estabelecimento contra qualquer tipo de fraude ou trote.

4- Indicação de promoções e facilidades do hotel e da cidade: Muitas são as situações em que o hóspede não conhece o estabelecimento ou a cidade onde está se hospedando. Por conta disso é sempre interessante que no site do hotel constem informações sobre os serviços oferecidos no estabelecimento (Recreação, academia, piscinas, bares, lojas, massagens, cabeleireiros, sauna, restaurante, áreas com wi-fi…) e no município, como shopping centers, atrações turísticas, centros de convenções, restaurantes recomendados, cinemas, teatros, praias, parques de diversões… Festas típicas e promoções do comércio e dos serviços também podem e devem ser divulgadas, assim como a realização de ações comerciais próprias do estabelecimento.

5- Canal de reclamações, elogios ou dúvidas: Parece tão óbvio, mas ao mesmo tempo deve ser visto como essencial que na homepage do estabelecimento exista um canal de reclamações, elogios ou dúvidas, no qual constem as perguntas mais frequentes (FAQ) e formulários nos quais o cliente possa manifestar tanto sua satisfação quanto à insatisfação com algum dos serviços prestados a ele relacionados à sua estadia.

O principal é permitir que o cliente, como vimos através destes recursos e ferramentas a serem disponibilizados on-line, se sinta ouvido, participe suas opiniões, tenha sua vida facilitada pelo uso destas facilidades e entenda a preocupação do estabelecimento que o recebe  em relação a seu conforto e comodidade quando estiver por ali.

João Luís de Almeida Machado é Doutor e mestre em educação, graduado em história, escritor e membro da Academia Caçapavense de Letras, atua no ramo de gastronomia e hotelaria como pesquisador, jornalista e professor. Consultor da QI Profissional.