20. maio 2013 · Comentários desativados em Fernão Chab assume novo desafio na rede Atlântica · Categories: Hotelaria de Fato · Tags: , , ,
FernaoChab_130513

(Foto: Divulgação)

O Quality Hotel Aeroporto Vitória (administrado pela Atlantica Hotels) contratou Fernão Chab como seu novo Gerente.

Fernão é graduado em Hotelaria pela Universidade do Norte do Paraná (UNOPAR) e já foi Gerente Geral nos hotéis “Sleep Inn Manaus” e “Quality Hotel Manaus”.

“Essa é mais uma oportunidade de abrir novos canais de relacionamento, investir no aumento da ocupação e desenvolver novas práticas e rotinas para assegurar ainda mais excelência no atendimento aos hóspedes”, comenta o executivo.

Leia mais em Hôtelier News

26. abril 2013 · Comentários desativados em José Catriman é o novo chef da pousada Abracadabra · Categories: Hotelaria de Fato · Tags: , , , , , ,

José Catriman é o novo chef da pousada Abracadabra

O restaurante Místico tem a sua cozinha comandada pelo chef argentino José Luiz Catriman. Ele fica localizado dentro da pousada Abracadabra, em Búzios, Rio de Janeiro.

O profissional busca inovação, testando novos menus durante o almoço, e levando as receitas de maior sucesso para o jantar, com degustação em cinco etapas.

Leia mais em Hôtelier News

 
 

Maria Thereza Rizola é a nova gerente do My Place Savassi (MG)

Maria Thereza Rizola é a nova Gerente Geral do hotel My Place Savassi, localizado em Belo Horizonte (MG). A profissional também trabalha como Supervisora de Vendas dos dois empreendimentos do Grupo Engecom – My Place Savassi e Glória Caxambu.

Ela comenta sobre o desafio do novo cargo: “Pretendo reforçar o posicionamento do hotel no mercado mineiro com foco no diferencial de serviços e atendimento, além do ambiente confortável e localização privilegiada na capital mineira”, diz Maria Thereza, que tem quase dez anos de carreira na área de turismo.

Leia mais em Hôtelier News

 
 

Accor anuncia mais três hotéis em Porto Alegre

O grupo Accor anunciou a construção de 3 novos hotéis em Porto Alegre. Dois hotéis serão em parceria com a Prisma Construtora e a operadora Atrio, o Ibis Porto Alegre Assis Brasil e o Ibis Porto Alegre Centro. O terceiro, o hotel Ibis Budget Porto Alegre, será de propriedade da Accor.

Todas as novas unidades já estão em processo de implantação. A previsão de entrega é para meados de 2014.

Leia mais em Panrotas

24. abril 2013 · Comentários desativados em Sheraton da Bahia será inaugurado no próximo dia 8 · Categories: Hotelaria de Fato · Tags: , , , , ,

Sheraton da Bahia será inaugurado no próximo dia 8

O Sheraton da Bahia Hotel (ex Grande Hotel) confirma sua inauguração para o próximo dia 8, às 20h.

O hotel passou por reformas e investimentos em torno de R$ 100 milhões. O gerente geral do Sheraton da Bahia é Jan Van Bahr, ele conta com a consultoria de Paulo Gaudenzi, ex-presidente da Bahiatursa.

Leia mais em Tribuna do Norte

 
 

Gerente de hotel passa quatro dias preso em elevador na Áustria

O gerente de um hotel na Áustria ficou preso dentro de um elevador com defeito, quando fazia a ronda final antes de fechar o hotel após a temporada. Só depois de 4 dias preso um entregador se deparou com uma pilha de correspondências e ouviu o choro do senhor de 58 anos e acionou os bombeiros.

O homem foi retirado da cabine em segurança, ele disse as autoridades que o curso de sobrevivência que teve no exército o auxiliou a lidar com a situação.

Leia mais em G1

16. janeiro 2013 · Comentários desativados em Antônio Silveiras é o novo Gerente Operacional /Comercial do Primar Plaza Hotel · Categories: Hotelaria de Fato · Tags: , ,

O gerente é formando em hotelaria e pós-graduação em Business Administration nos Estados Unidos. Apresenta 36 anos dedicados à hotelaria, sendo 17 deles em cargos gerenciais.

Ele acredita que a característica principal de um bom gerente é o conhecimento prático. “Não tenho dúvida. Um gerente tem que aprender tudo na prática para saber do que está falando, entender como funcionam os departamentos do hotel e ter capacidade de avaliar os problemas”, avalia Silveiras.

Já adequado ao mercado de hotelaria do interior paulista, o executivo diz que essa é uma região com um grande potencial e que tem muito a crescer.

Leia mais em HÔTELIER NEWS

 

25. outubro 2012 · Comentários desativados em Uma linda mulher (Pretty Woman, EUA/1990) · Categories: Hotelaria na tela do cinema · Tags: , , , , ,

Por João Luís de Almeida Machado

Comédia romântica estrelada por Julia Roberts e Richard Gere já se tornou um

clássico e tem como pano de fundo um hotel de luxo e um gerente de primeira

A história da Cinderela moderna ganhou o mundo neste filme leve e descompromissado do diretor Gary Marshall. Estrelado por Richard Gere e Julia Roberts, que até aquele momento ainda não era a estrela que hoje conhecemos, esta comédia romântica encantou a todos pela história dos sonhos que aproxima um executivo rico de uma garota de programa. As diferenças entre o mundo dos dois protagonistas desaparecem em meio a uma divertida e bonita história de amor que tem como cenário Beverly Hills e, num âmbito mais imediato, o hotel onde ambos estão hospedados.

E é justamente o hotel, a partir da figura do gerente, protagonizado pelo versátil e talentoso Hector Elizondo, que viabiliza o romance, ao dar para o casal o espaço compartilhado, onde estão protegidos da curiosidade alheia e local em que as diferenças entre o rico empresário e a jovem prostituta vão aos poucos desaparecendo, dando margem ao encontro entre o homem e a mulher para que se apaixonem.

O hotel é de alto padrão, localizado numa das mais ricas regiões da Califórnia e dos Estados Unidos, com acesso limitado a poucos mortais, justamente aqueles que, como Edward Lewis (Richard Gere), podem pagar pelos luxos e mimos oferecidos.

A suíte na qual está instalado o milionário é o claro exemplo de instalações preparadas para recepcionar de reis, rainhas e presidentes a expoentes do esporte, artes e negócios. Não é por acaso que é conhecida nestes hotéis de luxo como suíte presidencial. É ampla, conta com sacada espaçosa, diferentes cômodos, banheira com hidromassagem e chega mesmo a se assemelhar a um apartamento. Como é num hotel, além da amplitude, é ricamente decorada, com móveis belíssimos e exclusivos. Cada detalhe do espaço tem, ao olhar do espectador, algum adorno que torna o quarto aconchegante e, ao mesmo tempo, sofisticado. Se não bastasse isso, há todos os serviços disponíveis para atender as demandas e necessidades dos hóspedes, com funcionários selecionados e muito bem treinados para assim fazê-lo.

Além dos atendentes, ainda que alguns sejam propositalmente cômicos, como o rapaz que encaminha o executivo Lewis e a garota de programa Vivian Ward (Julia Roberts) para seu apartamento, prima-se pela aparência, com uniformes que destacam o alto nível do estabelecimento, com todos alinhados e usando cores que os destacam e tornam fácil o reconhecimento pelos clientes.

Dos recepcionistas aos garçons que levam ao quarto do casal as delícias que irão consumir, o que se percebe é a classe e o profissionalismo. Neste sentido, ainda que Vivian (Julia) ao chegar ao hotel não esteja trajando roupas próprias ao ambiente, o que chama a atenção dos demais hóspedes, os funcionários se mantêm sóbrios e discretos, sem comentários ou olhares que denunciem algum preconceito ou prática discriminatória.

Agora, o grande destaque entre todos os funcionários do hotel é mesmo o gerente. Sóbrio, discreto, eficiente e elegante são termos que bem descrevem o personagem vivido por Héctor Elizondo. Se não bastasse tudo isso, é ele quem ajuda Vivian a se adaptar ao rico e luxuoso ambiente do hotel e dos compromissos do executivo Edward Lewis. Seu gosto impecável orienta Vivian a comprar trajes próprios para uma dama da alta sociedade que frequenta restaurantes finos e que circula pelas principais ruas de comércio de Berverly Hills. É ele que, também, a orienta quanto ao uso de talheres para um jantar de negócios em que Vivian acompanhará Edward.

Há várias lições no filme de Gary Marshall para quem trabalha com hotelaria e serviços, mas acima de tudo o que prevalece, a despeito das liberdades criativas e alguns exageros permitidos em produções cinematográficas de Hollywood, são os serviços de primeira, a apresentação impecável dos funcionários, a elegância do estabelecimento e a figura deste gerente memorável. Se não bastasse tudo isso, o filme é delicioso sempre, tanto para quem assiste pela primeira vez quanto para quem o revê. A química entre Gere e Roberts torna a história um conto de fadas moderno. Confira!

Obs. Vale lembrar também que a música tema do filme, Pretty Woman, de Ray Orbison, igualmente se tornou um grande sucesso.

João Luís de Almeida Machado é Doutor e mestre em educação, graduado em história, escritor e membro da Academia Caçapavense de Letras, atua no ramo de gastronomia e hotelaria como pesquisador, jornalista e professor.

02. fevereiro 2010 · Comentários desativados em Procura-se por um super gerente · Categories: Artigos · Tags: , , , , , ,
 Artigo publicado terça-feira, 2 de fevereiro de 2010 no Hôtelier News

Ser gestor no mercado hoteleiro é perceber sutilezas. O detalhe faz a diferença e, muitas vezes, garante o sucesso de um profissional. Isso porque não adianta um hotel ter todas as instalações impecáveis se falta cordialidade aos funcionários. O fator humano é o nosso principal capital.

Um bom gerente é o que sabe administrar o capital humano, a demanda a sua volta e se adequa com facilidade ao tipo de empreendimento a que está vinculado. Por mais que o momento seja de controle e conhecimento tecnológicos, ainda temos uma grande parte do trabalho dentro do hotel a ser realizado de forma artesanal. E o contraste entre a tecnologia e o artesanal torna a gestão ainda mais complexa. São várias empresas dentro de uma maior, com necessidades e interesses diferentes. É papel do gerente concentrar-se na união dos interesses e focar nos objetivos da organização.

Outra função do gestor é saber perceber as competências do cargo que ocupa e ter flexibilidade e visão estratégica para se adequar às diversas funções de gerência. Há casos de necessidade de profissional com forte atuação em A&B, outros em Hospedagem. O mesmo profissional, muitas vezes, tem que se adaptar a algo mais burocrático ou a uma função que exige que ele se integre à equipe e fique em constante contato com a base operacional. Mesmo o profissional com carreira desenvolvida na área de hospedagem deverá responder pelas atividades de A&B – caso o empreendimento tenha restaurante próprio -, o mesmo acontece com a exigência dos perfis mais administrativos que vão responder pelos resultados operacionais.

O tamanho do hotel também exige competências diferenciadas do gerente. Os megas e grandes empreendimentos exigem uma gama de conhecimento que ultrapassa a capacidade de muitos profissionais. Ele deve alinhar as competências de diversos departamentos, como marketing, comercial, administrativo, financeiro e operacional. Nos empreendimentos de pequeno porte, exige-se dos gestores conhecimentos administrativos e operacionais, além de serem responsáveis por executar compras, vendas, conciliação bancária, custos e atendimento. Contudo, não importa se o empreendimento é de pequeno ou de grande porte, há desafios e problemas comuns na hotelaria:

Problemas: Falta de mão-de-obra qualificada; aumento dos nichos de mercado; competição acirrada e crescente exigência dos hóspedes.

Desafios: Contenção dos custos; aumento de comodidades na oferta hoteleira e política de preços coerentes com o mercado.

Na minha experiência como consultor, percebo que alguns desses pontos acima são pouco aprofundados e deveriam ser mais bem avaliados pelos gestores com ambições de possuírem uma notoriedade na área. São eles:

Nichos de mercado: Antes a hotelaria era generalista, atendia a todos os públicos. Existia um conceito único também, visto que os prédios eram muito parecidos. No máximo, havia uma definição de Hotel Business e Lazer. Depois veio a divisão: eventos e convenções. E mais tarde estabeleceram-se os meios de hospedagem econômicos e super econômicos, em concorrência aos hotéis tão somente baratos, buscando um público não atendido pelos empreendimentos de categoria superior. Há o surgimento de propriedades para esportistas, GLBT, crianças, jovens, idosos, para família, para casais (não aceita crianças). Há uma tendência que as pessoas se agrupem em afinidades ou identidades e são necessidades tão específicas que não podem ser atendidas como um grupo generalista. É o caso dos hotéis que estão com andares somente para mulheres, outros para longa permanência ou de um dia. Todos são nichos e precisamos nos adaptar.

Aumento de Comodidades na oferta hoteleira: Antes, para considerar um hotel interessante bastava um bom chuveiro e uma boa cama. Agora, mesmo nos econômicos, são analisados os tipos de TV, business center, internet, controle das despesas com acesso na UH, travesseiros, andar vip com mordomia, andares com acesso exclusivo, entre outros. E a tendência é aumentar justamente para atender a determinados nichos de mercado.

Política de preços: É importante apresentar preços que são praticados pelo segmento ou pelo menos que haja uma estratégia que seja compatível com o mercado. Na maioria dos empreendimentos, o que vemos é uma tarifa muito abaixo do mercado. Nesses hotéis, a única estratégia é aplicar o menor preço sem se preocupar com os resultados ou quanto realmente valem os custos. Além disso, há também a influência direta da sazonalidade.  Ganha o empreendimento que souber trabalhar muito bem com a política de preços.

O super gerente é aquele que concilia todas as competências pessoais e daqueles que o cercam. Ele sabe perceber as sutilezas e prever os problemas internos do empreendimento, reagindo de maneira estratégica ao mercado. E tudo isso com qualidade e um serviço atraente. Não se pode esquecer que o mais importante na hotelaria são as pessoas e as relações entre elas. Competência não existe sozinha, o gestor deve estar sempre próximo do cliente. Ser um super gerente não é nada impossível, você pode conseguir.