12. agosto 2012 · Comentários desativados em MBA: uma decisão acertada · Categories: Gestão de Carreira · Tags: , ,

Os currículos de gerentes gerais e gestores em hotelaria possuem muitas características em comum, contudo, uma das principais é o investimento da carreira em cursos de qualidade: o famoso MBA.

Antes o MBA era composto por cursos específicos e muito caros. Diferente do que ocorre atualmente, há um aumento na oferta tanto em diversidade de cursos quanto de instituições.

A diversidade é tamanha que pedimos: cuidado! Hotelaria é uma carreira com tanta possibilidade de funções e aperfeiçoamentos que não há um curso específico de MBA que atrai os hoteleiros. Eles buscam em administração, em gestào de pessoas, marketing e muitos outros. Gestores e executivos escolhem e planejam suas carreiras e realizam cursos para se qualificarem ainda mais na área que atuam ou para alcançarem outros postos.

De acordo com Constantino Cavalheiro, diretor da Catho Educação, em entrevista publicada no site da Catho, para escolher um MBA deve-se levar em conta os seguintes fatores:

Instituição que oferece o curso, planejamento de carreira e mercado de trabalho. Veja o que ele diz:

 

O profissional deverá ter bastante atenção na escolha de um curso que seja mais adequado ao seu plano de carreira e de uma instituição que, de preferência, seja bem reconhecida pelo mercado. Neste sentido, deverá verificar até que ponto está convicto que esta é mesmo a área em que pretende atuar, pois fazer o que se gosta é muito importante para desenvolver uma carreira promissora. A seguir, é importante avaliar se o curso escolhido irá aprimorar a forma como desenvolve seu trabalho e se poderá capacitá-lo para ocupar um futuro cargo que pretende.

No processo de seleção de uma instituição é preciso considerar: as avaliações realizadas pelo MEC (Ministério da Educação Brasileiro), rankings de revistas conceituadas, referências em publicações de grande circulação e aparições de forma positiva em reportagens. Deve também conversar com profissionais mais experientes do mercado, tais como parentes, empregadores, amigos da família, preferencialmente da mesma área de atuação, sobre sua percepção quanto à reputação da instituição. Além disso, é muito importante pesquisar o perfil do público dos profissionais que realizam aquele curso, pois existem no mercado MBAs com o mesmo nome, mas que se destinam a profissionais com perfis completamente diferentes.

E fazer MBA está em alta e os brasileiros estão otimistas com isso. O Jornal Valor noticiou recentemente que a expectativa de aumento na remuneração entre profissionais que investem em um curso de MBA alcançou níveis recordes em 2012 – e o Brasil é o segundo país mais otimista nesse sentido. É o que mostra uma pesquisa da QS, provedora de informação sobre ensino superior, e do TopMBA, site que reúne informações sobre escolas de negócio, com mais de quatro mil alunos.

O Brasil só perde para a Suíça na ambição salarial, com os estudantes brasileiros esperando até triplicar a remuneração após o término do MBA. Os brasileiros com até quatro anos de experiência profissional apostam no MBA para incrementar o salário em até US$ 95 mil anuais, saltando de US$ 39 mil para US$ 139 mil com o diploma de MBA. Já profissionais mais experientes esperam um aumento do salário anual de US$ 64 mil para US$ 184 mil.

Fontes: Valor Econômico e Catho

 

08. agosto 2012 · Comentários desativados em CEOs Gays temem assumir sua homossexualidade · Categories: Gestão de Carreira · Tags: , , , ,

Recentemente uma reportagem do jornal Valor Econômico sobre CEOs Gays levantou uma questão importante: por qual motivo os homossexuais em alto cargo e chefia possuem atitudes mais reclusas no mercado de trabalho?

Um dos motivos é o preconceito. Desde crianças somos acostumados a entender que família é composta por homem, mulher e filhos, e que relação amorosa só existe entre pessoas de sexos opostos. Mesmo com muita luta pelos direitos homoafetivos, a sociedade ainda encara as relações de pessoas do mesmo sexo como algo diferente e, no pior dos casos, um pecado.

Apesar da nossa discussão ser mercado de trabalho, a forma como as pessoas foram educadas ou constroem seus pensamentos afetam e muito as relações as quais elas irão estabelecer no seu cotidiano de trabalho.  E, muitas vezes, o medo de se expor ou de sofrer algum tipo de rechaço faz com que o homossexual seja discreto ao falar de relações amorosas e/ou familiares.

A Reportagem do Jornal Valor Econômico traz exemplos de altos executivos dos EUA, porém, muito pode ser aplicado em nosso pais, que também possui uma cultura homofóbica e machista isso porque seguramente no Brasil haja executivos que não tenham saído do armário por aqui.

De acordo com Deena Fidas, vice-diretora de programas corporativos da Human Rights Campaign, o maior grupo de defesa dos direitos das lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros dos Estados Unidos: as companhias legalmente ainda podem demitir um trabalhador por ele ser gay em 29 estados americanos, por exemplo, e muitos preconceitos sutis persistem no ambiente de trabalho, segundo o grupo.

Não há um único executivo-chefe declaradamente gay na “Fortune 1000” [ a lista das mil maiores empresas americanas], segundo a Human Rights Campaign. (O único executivo-chefe declaradamente gay, o ex-presidente da Urban Outfitters Glen Senk, deixou a companhia em janeiro e hoje comanda a varejista de joias David Yurman.)

Isso não quer dizer que não existam CEOs gays nesse grupo, observa Kirk Snyder, um consultor especializado em diversidade que trabalha com empresas da “Fortune 500” e já escreveu vários livros sobre a homossexualidade no local de trabalho. Com base em suas pesquisas e contatos do setor, ele afirma conhecer pelo menos 10 CEOs que ainda não saíram do armário. “Eles temem ser boicotados pelos consumidores se souberem que a companhia é comandada por um CEO gay.”

Apesar do medo do rechaço e das atitudes alheias, o jornal traz exemplos de executivos que saíram do armário. Como é o caso de Beth Brooke, vice-presidente global de políticas públicas da Ernst & Young,  que assumiu ser gay após 20 anos de empresa.

Por quase duas décadas, a executiva da Ernst & Young Beth evitou as conversas ao bebedouro por temer que alguém a deixasse embaraçada com alguma pergunta pessoal. Ela diz que os colegas cochichavam pelos cantos que ela era uma “solitária”, abalada por um possível divórcio, ou talvez reclusa por natureza.

E foi durante um vídeo patrocinado pela empresa para uma campanha sobre diversidade, ela disse olhando direto pra câmera:”Sou gay”.


Leia a reportagem do Valor

 

25. junho 2012 · Comentários desativados em Treinar é bom e não tem contra indicação · Categories: Gestão de Carreira · Tags: , ,

Treinamento e Desenvolvimento são essenciais para qualquer empresa, o que inclui os empreendimentos hoteleiros. A especialista Maria Inês Felippe, mestra em criatividade e inovação aplicada pela Universidade de Santiago de Compostela, Espanha, traz algumas reflexões em VocêRH.

Segundo Maria Inês, os melhores resultados de T&D só ocorrem quando estão obtidos por meio de ações inseridas em um plano e um projeto de empresa. “Tudo isso atrelado ao planejamento estratégico da companhia. O investimento se destina a capacitar uma equipe de trabalho, reduzindo ‘gaps’ entre o comportamento atual e o desejado”.

Ela explica que não há fórmular mágicas. As ferramentas a serem utilizadas são várias. “O importante é direcionar as necessidades do treinamento para uma forte alavancagem dos negócios, garantia do vínculo com o cliente, incentivo e desenvolvimento da criatividade na busca de estratégias e produtos inovadores”.

A especialista traz algumas perguntas guias que auxiliam a pensar o caminho:

  • Qual a minha real competência enquanto empresa?
  • Quais os comportamentos esperados para garantia da minha competência central?
  • O que poderá diferenciar-me dos concorrentes?
  • Quais as minhas estratégias ou produtos que dificilmente serão imitados?
  • Como estão as minhas competências como conhecimento, habilidade e atitudes e a dos meus funcionários?

Ela encerra com um ensinamento: “Treinar é bom e não tem contra indicação, em doses bem administradas cura e previne doenças”.

Confira texto completo aqui. 

14. junho 2012 · Comentários desativados em Pesquisa internacional informa: o ritmo de contratação no Brasil deve seguir forte · Categories: Gestão de Carreira · Tags: , ,

Um estudo realizado pela  ManpowerGroup, organização internacional especializada em soluções inovadoras de gestão e contratação de pessoas, mostra que houve uma mudança positiva na contratação em 33 países dos 41 pesquisados, incluindo a Índia, Brasil,Turquia e Cingapura.

Os países em desenvolvimento estão com uma certa vantagem, países como Itália e Espanha estão com  contratações em queda, segundo dados da pesquisa.

O índice da Pesquisa de Expectativa de Emprego no Brasil é de um aumento de 31%, com o estado do Paraná em destaque. As indústrias que mais esperam aumentar a taxa de contratação são as de Seguro Imobiliário/Financeiro e a de Serviços.

O Brasil continua apresentando um alto patamar de contratações. “O Brasil ocupa a terceira posição entre os países com as maiores taxas de expectativas de contratação no próximo trimestre, atrás apenas da Índia (+53%) e de Taiwan (+40%). Este é reflexo do estado atual da economia mundial, em que países em desenvolvimento tem que contratar”, afirma Jeff Joerres, CEO do ManpowerGroup.

A pesquisa foi realizada com mais de 65.000 diretores de recursos humanos e altos executivos de organizações públicas e privadas em 41 países e regiões

Caso brasileiro

No Brasil, 850 gestores participaram do estudo respondendo a pergunta: Qual sua expectativa para o volume de contratações de sua empresa para o 3º trimestre (até setembro de 2012), em comparação com o trimestre atual?

O resultado indicou que 36% dos entrevistados esperam que o número de funcionários deve aumentar, 58% não tinham previsão e 5% prevêem uma diminuição.  “Os dados revelam que os trabalhadores brasileiros permanecem otimistas em relação à economia interna do país. Os resultados líquidos para o trimestre podem ser ainda melhores do que as expectativas, impulsionado pelo recente anúncio de uma queda nas taxas de juros e isenção de impostos para a compra de bens de consumo”,  afirma Riccardo Barberis, country manager da Manpower Brasil.

 

Fonte:  Manpower Group

 

31. maio 2012 · Comentários desativados em Contratação de pessoas com deficiência · Categories: Gestão de Carreira · Tags: , , , ,

Cada vez mais é exigido profissionalismo na contratação de pessoas com deficiência. Não basta cumprir a Lei de Cotas, deve-se agir com respeito aos direitos e necessidades do funcionário. O profissional deve estar seguro e ter todas as ferramentas necessárias para executar suas funções. Uma pessoa cega deve ter todos os aparatos tecnológicos necessários para o uso de computadores e demais atividades. O deficiente físico deve ter o livre trânsito em todos os espaços da empresa.

Segundo reportagem do Portal Terra, é fundamental encontrar uma posição compatível com a deficiência do profissional. Ele precisa estar ao mesmo tempo seguro e agindo de maneira autônoma. A partir disso, pode ser cobrado da mesma forma que qualquer outro colaborador.

Há organizações especializadas em fazer a ponte entre empregadores e funcionários. Entre elas está a  Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência (Avape). Segundo reportagem do portal terra, a Avape realizar mais 30 cursos nas áreas de negócios e administração, turismo e eventos, informática e atendimento ao cliente.  De acordo com Flávio Gonzalez,  a associação presta serviços para empresas que querem se adaptar à Lei de Cotas e outras empresas.

Outra organização que age em prol dos direitos humanos das pessoas com deficiência e discute a diversidade na sociedade é a Mais Diferença.  A organização tem como premissa que a educação é direito fundamental de todos, a Mais Diferenças, desde a fundação, desenvolvemos projetos de assessoria para a  implementação da Educação Inclusiva em redes públicas e privadas.

Saiba mais:

Reportagem do Portal Terra

AVAPE

Mais Diferença 

 


24. abril 2012 · Comentários desativados em Remuneração no país deve se manter em alta · Categories: Gestão de Carreira · Tags: ,

Aumentar salários é intenção de 90% das empresas no Brasil, esta é a manchete do Jornal Valor Econômico de hoje.  A constatação é de uma pesquisa realizada pela consultoria Grant Thornton com 11.500 empresas em 40 países. O Brasil é um dos mercados que apresenta maior intenção em promover aumentos para seus profissionais – 90% das companhias ouvidas pretendem elevar os salários de seus colaboradores neste ano, enquanto a média global é de 66%. O país perde apenas para Suécia, Argentina, África do Sul e Turquia.

Mesmo entre mercados com economia aquecida, a média brasileira se destaca. O país superou o índice da América Latina (88%) e dos BRIC (68%). “A escassez de profissionais qualificados no Brasil tem levado muitas empresas a usar o salário como estratégia de retenção de talentos”, afirma Antoniel Silva, diretor de pessoas da Grant Thornton.

A intenção em conceder aumentos no Brasil vem crescendo desde 2010, segundo a mesma pesquisa. Naquele ano, 70% das empresas atuantes no país revelaram que planejavam pagar salários mais altos a seus funcionários, número que aumentou para 84% no ano passado. Esse cenário, segundo Silva, deve se manter nos próximos anos. “A perspectiva é de que mais empresas cheguem ao Brasil competindo por mão de obra qualificada, tendo os eventos de 2014 e 2016 como horizonte de investimentos”, diz.

Segundo o levantamento, os setores que mais devem elevar os salários de seus profissionais globalmente são mineração (91%), agricultura (76%), tecnologia limpa (73%), serviços (72%) e educação (71%).

 

Fonte: Valor Econômico. 

12. abril 2012 · Comentários desativados em A hora da entrevista · Categories: Gestão de Carreira · Tags: , ,

Muitas vezes os selecionadores de vagas se acham com super poderes. E não percebem o lado humano, sensível do candidato. De acordo com Edna C. Gonçalves, em artigo publicado no site rh.com.br, “o candidato, além de ser um futuro funcionário, um cliente em potencial, é também um ser humano, que está ali, em uma situação delicada que é a fase de mudanças – mudança de cargo, salário, o que vai influenciar nos sonhos dele, em seus familiares, amigos, estudos, carreira.”

Candidatos precisam das vagas e da empresa, porém esta relação é de duas vias: as empresas e seus selecionadores também necessitam dos candidatos. Segundo o artigo é preciso ponderar e verificar que tanto empresa quanto candidatos estão em equilíbrio: um precisa do outro para sobreviver. “Então, tenhamos ética, tenhamos pensamentos novos sobre o novo que aparece em nossos escritórios, lojas, escolas e demais lugares de trabalho, para que possamos realmente mudar o pensamento de que o ser humano não é um simples recurso: ele é uma pessoa que move a empresa, os negócios e tudo o mais que envolve sua força de trabalho”. Fica a reflexão transmitida por Edna C. Gonçalves. Leia artigo completo.

 

25. março 2012 · Comentários desativados em Prêmio VIHP destaca os melhores da hotelaria nacional · Categories: Gestão de Carreira · Tags: , , , , , , , , , ,

Projeto pioneiro, criado em 2010, está em sua segunda edição.

Num momento em que todas as atenções estão voltadas à hotelaria, em razão das preparações de grandes eventos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas, o Hôtelier News e a QI Profissional promovem a segunda edição do Prêmio VIHP – Very Important Hotel Professional.

 

Criado pelo Hôtelier News e pela QI Profissional, a iniciativa tem como objetivo reconhecer os melhores profissionais em posição de liderança no mercado hoteleiro nacional. Conta com apoio institucional de sete importantes entidades do setor: FOHB (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil), ABG (Associação Brasileira de Governantas), Resort Brasil (Associação Brasileira de Resorts), ABIH (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis), SPC&VB (São Paulo Convention & Visitors Bureau), Abracohr (Associação Brasileira dos Compradores de Hotéis e Restaurantes), FBHR (Federação Brasileira de Hotéis e Restaurantes), além do Terraço Itália, espaço onde acontece a cerimônia de premiação.

 

Segundo Peter Kutuchian, publisher do Hôtelier News, o capital humano é essencial na hotelaria, não sendo suficiente apenas oferecer um empreendimento moderno, com os melhores equipamentos, se não há um colaborador atendendo, liderando e assumindo o compromisso pela hospitalidade. Ele destaca que o Prêmio VIHP é um incentivo a todos os profissionais, principalmente hoteleiros e empresários, donos des meios de hospedagem. “Capacitem, treinem e incentivem. O retorno, além de ser garantido, promove a evolução do ser humano, e isso é o legado que cada um pode deixar para gerações futuras”, diz Kutuchian.

 

De mesma opinião é Ricardo Domingues, diretor executivo da Associação Brasileira de Resorts. “A segunda edição do Prêmio VIHP mostra a importância que o segmento hoteleiro vem conquistando no mercado brasileiro. O conceito do hoteleiro votar em outro hoteleiro valoriza ainda mais cada voto. Estou otimista, pois a cada ano novos profissionais têm seu trabalho reconhecido para além de suas fronteiras regionais”.

 

Ana Maria Biselli, diretora executiva do Fohb, considera o prêmio fundamental. “Prestigiar os talentos do setor é um estímulo para que os profissionais se aperfeiçoem permanentemente, tanto na execução de suas tarefas quanto em sua formação, impulsionando assim a carreira na hotelaria”

 

Carlos Fabbris, diretor de Recursos Humanos do grupo Posadas, vencedor da primeira edição do prêmio na categoria Gerência de RH, considera a conquista uma experiência inesquecível e de grande consequência profissional.Em primeiro lugar, é o mercado dizendo que seu trabalho é correto, siga em frente! Em segundo, é o reconhecimento de seus pares por tudo aquilo que você já ofereceu para as empresas com as quais trabalhou, trabalha e para aqueles com quem se relaciona neste nosso maravilhoso mundo hoteleiro”.

 

Os finalistas e as Categorias do prêmio

O Prêmio VIHP  deste ano tem 48 finalistas, sendo que três por cada uma das 16 categorias.

Profissionais de destaque de todo o Brasil concorreram às categorias: todas de nível gerencial, que abrangem as principais áreas como Gerência de Hospedagem e Gerência de Recepção e também nas diferentes categorias dos meios de hospedagem como Gerência Geral de Resort, Gerência Geral Hotel – Luxo e Gerência Geral de Hotel Econômico.

De acordo com Márcio Moraes, gerente de Carreira da QI, não importa se o hotel é grande ou pequeno, de categoria luxo ou econômica, há uma necessidade básica: qualificar profissionais e empresários. “Não há como uma empresa crescer sem lideranças competentes. São necessários profissionais qualificados que sirvam como referenciais para aqueles que chegam e para outros na fase de desenvolvimento, ambos necessitam ter ‘espelhos’ para progredir. Esse é um dos objetivos do Prêmio VIHP: divulgar esses referenciais do mercado de hospitalidade”, explica.

A cerimônia de entrega do Prêmio VIHP acontece no dia 26 de março de 2012 no Terraço Itália, em São Paulo. A apresentação será conduzida por Márcio Moraes e Peter Kutuchian e contará com a participação dos três finalistas de cada categoria, além de convidados especiais.

 

Os nomes dos finalistas e outros detalhes estão no site do Prêmio.