08. setembro 2016 · Comentários desativados em Recomeçar a vida profissional aos 59 anos · Categories: Gestão de Carreira · Tags: , , , ,

A trajetória profissional de Jorge Fernandes Góes Neto, 62 anos, é uma lição de vida nesses tempos conturbados. E, principalmente, em tempos de nova proposta de reforma da Previdência, que pode prever o aumento da idade mínima para acesso à aposentadoria. Sua história traz esperança aos profissionais que podem ter se decepcionado com a profissão escolhida ou mesmo uma solução para aqueles que estão buscando novas oportunidades e querem atingir a felicidade profissional.

O fato é que Jorge se viu recomeçando a vida profissional aos 59 anos. Não é novidade que quando não trabalhamos de acordo com nossa missão pessoal ficamos irritados, de mau humor, desmotivados ou até entediados. Há um sentimento de frustração ao trabalhar com algo que nada tem a ver com o profissional, mesmo garantindo um bom salário no final do mês. No caso de Jorge, atualmente, ele já pode falar que trabalha com paixão, sente desejo em se aprimorar e respeita sua vocação. Como ele conseguiu essa façanha, na verdade, é algo mais simples do que se imagina.

foto-paleto-18-08-15Jorge conta que sempre amou a hotelaria e o ‘prestar serviço’ foi algo que o cativou. Por isso, resolveu cursar hotelaria no Rio de Janeiro. “Apesar de na família não ter ninguém que seguiu nessa área, senti que deveria experimentar e também porque via algo glamoroso nisso, naquela época”, explica. Assim que saiu da faculdade iniciou uma peregrinação em diversos setores da hotelaria, dos cargos iniciais até os mais altos, em vários estados brasileiros. Desde a Bahia, passando por Alagoas, Paraná e Mato Grosso, até voltar ao Rio de Janeiro.

Suas funções também foram diversas, sendo que gerente operacional, de Alimentos e Bebidas e Gerente Geral foram os postos que ocupou por mais tempo. Jorge também foi professor e coordenador do Centro de Treinamento em Hotelaria da Universidade Anhembi-Morumbi, atividade que, segundo ele, foi muito prazerosa. No empreendedorismo, ele foi sócio Diretor de Operações no Nobile Hoteis, onde foi responsável pela expansão da rede, partindo do patamar de zero à administração de 18 unidades. Foi ali que, durante cinco anos e onze meses, desenvolveu toda a política e estrutura, passando a atender um dos maiores projetos do grupo, que foi a reestruturação do Beach Class Resort Muro Alto.

“Cheguei num certo ponto que entendi que a diferença de uma suíte presidencial para uma normal é uma garrafa de água com gás a mais, por exemplo”, compara Jorge, de forma metafórica.

Após uma maratona de empregos, Jorge conseguiu encontrar algo que realmente lhe preenchesse profissionalmente em uma rede inglesa de condomínios inteligentes, onde ocupa o cargo de Gerente Geral de Propriedade. O empreendimento que está sob sua responsabilidade é conceito de estrutura de alta complexidade e onde funciona o maior Banco da América Latina, a Tishman Speyer. “Estou muito feliz e, por isso, aconselho a todos profissionais que buscam a felicidade profissional a apreender a se ouvir,” revela. Sim, Jorge garante que o grande trunfo para a felicidade profissional foi ter ouvido o que o coração diz.

Ele trabalha na coordenação de três prédios que totalizam 160 metros quadrados de área construída e atende cerca de seis mil e quinhentas pessoas diariamente. Sua atuação se dá principalmente em demandas de urgência de prestação de serviço. “Agora sim o trabalho que realizo é uma prestação de serviço verdadeira, e me sinto renovado”, declara.

A QI Profissional, empresa especializada em orientar e acompanhar a carreira de profissionais na área de Hotelaria e Gastronomia, além de prestar serviço de análise e indicação de oportunidades de trabalho, tem grande participação nesse recomeço profissional de Jorge. O diretor da empresa, Marcio Moraes, compartilha um valioso conselho para alcançar essa tal felicidade profissional. “O primeiro passo no recomeço de uma carreira é o autoconhecimento, assim fez o Jorge quando nos procurou. Durante as orientações, tivemos inúmeras descobertas, mas uma que considero muito importante foi o talento comportamental que ele possui em agir de forma cautelosa. Percebi com facilidade que ele se cerca de segurança antes de investir num novo plano. E isso, traz um resultado contínuo, já que ele mediu e pesou todas as possibilidades. Jorge sabe segurar seus impulsos e suas emoções e as usa nos momentos adequados.  Ele age com os pés no chão, sabendo esperar para ganhar no final. Depois dessa constatação, o próximo passo foi encontrar uma empresa que pensa como ele e assim aconteceu,” comenta Márcio Moraes.

Jorge precisou chegar aos 59 anos para se compreender e recomeçar uma vida profissional satisfatória e através de sua experiência conseguiu ajudar sua filha a se reencontrar na profissão. “Certo dia, minha filha que é pediatra e estava concluindo uma especialização para trabalhar especificamente em UTIs, me disse: Pai, agora que estou estagiando descobri que não é bem isso que eu quero fazer”, conta. Nesse momento, ele viu que não somente porque era sua filha, mas por experiência própria, não poderia a deixar passar longos anos fazendo algo que não a fazia feliz e realizada. Agora, ele faz questão de compartilhar sua experiência ao máximo para que todos antes tarde do que nunca sintam-se cumprindo sua vocação.

 

Comments closed.