24. abril 2015 · Comentários desativados em Famoso garçom de Brasília, Cícero vai deixar o bar após 38 anos de trabalho · Categories: Hotelaria de Fato · Tags:

Cícero Rodrigues Santos, 65 anos, há 38 anos servindo à fiel clientela do Beirute (Brasília), ele se tornou o garçom mais conhecido da cidade, a ponto de ser confundido com o próprio estabelecimento em que trabalha. Depois de quase quatro décadas de labuta e amizades, Cícero vai se aposentar. Correio Braziliense http://goo.gl/bZF7bs

 

28. novembro 2014 · Comentários desativados em Devolução de pré-reserva em até 48h, um acordo de cavalheiros · Categories: Artigos, Hotelaria de Fato

devolução 48 horas_menor

A Lei Geral do Turismo voltou a ser pauta do setor hoteleiro nas últimas semanas e, além dos debates sobre a diária de 24 horas, outro assunto bastante discutido entre os profissionais do segmento é a devolução da pré-reserva em até 48 horas.

Atualmente, a relação hóspede x hotel é estreita e isso se dá devido às regras e acordos no processo de compra e venda, pois se existe, no momento da reserva, uma política clara de devolução e ou cancelamento por parte do hóspede, fica acordado e esclarecido quais são os direitos e deveres de cada parte.

Um dos pontos mais destacados deste assunto é a questão da logística de devolução do valor pago em até 48h, por se tratar de uma transação que envolve, em 96% dos casos, operadoras de cartão de crédito.

Segundo o diretor executivo da Resorts Brasil, Ricardo Domingues, o número de clientes que faz uma pré-reserva com depósito em conta corrente é muito
baixo, pois a praticidade que o cartão de crédito oferece é infinitamente melhor. “Muitas vezes o estorno da compra acontece na próxima fatura, isto é, o cliente ainda não pagou, o hotel não recebeu o dinheiro, mas mesmo assim teve que devolver o valor”, explica.

Segundo dados fornecidos pela Resorts Brasil, 4% do PIB brasileiro é movimentado pelo turismo. São mais de 25 mil hoteis, número bastante elevado e que precisa ser respeitado ao se tratar questões tão sérias como as citadas até o momento.
Além da diária de 24 horas e devolução de pré-reserva em até 48 horas, há ainda a discussão sobre o cancelamento de até 72 horas e muitos outros temas a serem trazidos para pauta do setor hoteleiro.

11. novembro 2014 · Comentários desativados em A Lei Geral do Turismo e a diária de 24 horas · Categories: Artigos, Hotelaria de Fato

lei geral do turismo_menor

A Lei Geral do Turismo foi promulgada em 2008 e embora seja uma forma de regulamentação do setor, alguns segmentos, como o hoteleiro, vem questionando temas mais delicados, que precisariam de emendas e alterações mais urgentes, como a diária de 24 horas, devolução do dinheiro pago na pré-reserva dentro de 48h e o cancelamento da reserva em até 72h.

Ricardo Domingues, diretor executivo da Resorts Brasil, acredita que este Projeto de Lei não tem consistência para seguir dentro do parlamento, já que além da diária de 24 horas, obriga o estabelecimento hoteleiro a adotar outras medidas se aprovado. “Esse PL demonstra uma desconexão com o mundo atual e se ela é obrigatória para um determinado setor, logo deve ser aplicada para todo o segmento. Qual é a política utilizada para efeitos de cancelamento ou alteração de voos? A recíproca existe? Imagina o volume de processo. Sobre a diária de 24 horas, ela é inviável e impraticável, pois são necessárias duas horas para higienização e organização do quarto”, explica Domingues.

Para o consultor hoteleiro, Alessandro Coutinho, atualmente, a diária já é considerada de 24h, uma vez que o hóspede faz seu check in às 12h e o check out no mesmo horário. “Penso que a lei quer regulamentar em relação aqueles que entram, por exemplo, às 15h para que possam sair até as 15h também. Neste caso, vale ressaltar sobre a negociação direta com o cliente que já é praticada naturalmente hoje em dia. Se querem transformar isso em regra será bastante complicado para o hotel, já que teríamos muitas saídas e entradas fora de hora, dificultando o trabalho de governança e manutenção”, pondera Coutinho.

Já o administrador de empresas, Carlos Sabato Dell´Aglio, deve ser mantido o horário de check-in às 12h, pois permite que as equipes executem as atividades programadas de forma ágil e assertiva. “O planejamento de reservas, o Yield Managment seria comprometido. A regulamentação da diária para 24h pode parecer honesta em um primeiro momento por ocupar o apartamento na plenitude do período contratado, mas trará prejuízos para todos os envolvidos, uma vez que eleva os custos da operação, refletindo no aumento das tarifas, dificuldade de contratação de profissionais devido à adoção de turnos flexíveis”, comenta Carlos.

A Lei Geral do Turismo deve ser debatida e levada para as principais discussões do setor, pois é uma forma de colaborar ainda mais com o desenvolvimento dos negócios e as principais melhorias a serem feitas, principalmente, no setor hoteleiro. Os profissionais da hotelaria estão atentos e prontos para contribuir.

04. novembro 2014 · Comentários desativados em 7 atitudes que bloqueiam sua criatividade! · Categories: Artigos, Gestão de Carreira, Gestão de Pessoas, Hotelaria de Fato

Dizem que nossa mente é uma caixinha de surpresa e é mesmo, pois somos capazes de ter ideias até mesmo dormindo. A quantidade de coisas que podemos pensar e colocar em prática é infinita, uma vez que soubermos gerenciar atitudes para que nossa criatividade floresça a cada novo amanhecer. Mesmo com a capacidade que temos, cada ser humano absorve essa mensagem de uma forma e se comporta diferente durante todo processo criativo. Uma pessoa pode ser criativa, mas pode não saber como usar dessa virtude para conquistar alguns objetivos, seja por medo, insegurança, falta de foco ou, até mesmo, falta de atenção com o que está sendo pensado.

shutterstock_129327068_menorUma pessoa que deseja ser criativa ou amadurecer seu processo criativo, deve se atentar às seguintes reações:

1. Medo
2. Objetividade
3. Passividade
4. Resistência a mudanças
5. Falta de perseverança
6. Excesso de métodos
7. Falta de humildade

Não deixe que um desses itens domine seu pensamento e o impeça de colocar uma ideia em prática, mesmo sem a certeza de que dará certo ou não. É importante, acima de tudo, ter coragem para assumir riscos de suas ideias e opções.

27. outubro 2014 · Comentários desativados em Liderar com criatividade: um dos segredos de uma equipe de sucesso! · Categories: Artigos, Gestão de Pessoas, Hotelaria de Fato

O sinônimo de liderar é comandar, coordenar grupos e equipes com objetivo de atingir resultados satisfatórios e alcançar metas da empresa. Um chefe não precisa, necessariamente, ser líder e vice-versa. Liderança é escolher caminhos e acreditar que as decisões tomadas serão melhores para a equipe e não apenas para si.

Muitos falam sobre a diferença de ser líder e ser chefe, elas existem, sim, e são claras.
shutterstock_143976163_menorAbaixo, listamos 13 características dos líderes! Anote e pratique!

1 Ter consciência de que líder também erra
2 Ser empático
3 Ter autoconhecimento
4 Estar atento às expectativas do grupo
5 Traduzir o discurso em atitudes
6 Partilhar informações
7 Estar em constante processo de aprendizagem
8 Não tratar todo mundo igualmente
9 Fazer uma boa gestão do tempo
10 Saber “definir o futuro”
11 Ser humilde
12 Preparar sucessores
13 Ter uma “franqueza educada”

17. outubro 2014 · Comentários desativados em O que é um Job Hunter? Será que você precisa de um? · Categories: Artigos, Gestão de Carreira, Gestão de Pessoas, Hotelaria de Fato, Novidades da QI

Atualmente a expressão Head Hunter já é bem conhecida no mercado e boa parte das pessoas já sabe que se trata de um profissional altamente qualificado que é contratado por grandes empresas para “garimpar” talentos para ocupar posições de alta importância e destaque nos quadros funcionais. Mas, o que é um Job Hunter? Como o próprio nome sugere é um profissional qualificado para “caçar” as melhores oportunidades para profissionais em busca de recolocação ou ascensão profissional.
“Enquanto o Head Hunter é contratado por empresas, o Job Hunter atende a pessoas físicas. Além de procurar boas oportunidades profissionais para os clientes, ele também auxilia no planejamento da carreira e avalia pontos importantes tais como ‘onde estou’ e ‘onde quero chegar’”, explica Márcio Moraes, diretor da QI Profissional, empresa especializada em Job Hunter no segmento de hotelaria e gastronomia.

Contar com a ajuda de um Job Hunter pode ajudar os profissionais a encurtarem o caminho para o cargo almejado, pois com seus conhecimentos o “caçador”, ajudará o candidato a definir ações e recursos no desenvolvimento de competências, no relacionamento com o mercado e na adequação com as novas oportunidades de trabalho.

A história do gerente de Alimentos & Bebidas de uma grande rede de hotéis do Rio de Janeiro, Diego Gonçalves, ilustra como essa parceria pode trazer sucesso. Ele iniciou a carreira na área de hotelaria aos 14 anos, em um restaurante no interior do Estado de São Paulo, fez curso profissionalizante, Faculdade de Hotelaria e MBA em Administração, além de passar uma temporada no exterior e decidiu apostar na qualificação para dar um “up grade” na carreira.
“Depois de passar 8 meses no Canadá voltei ao Brasil e procurei os serviços da QI Profissional para pensar em como reestruturar minha carreira e me recolocar no mercado. Entre as oportunidades que foram levantadas com a ajuda da equipe da QI decidi aceitar a proposta para atuar na reestruturação da área de Alimentos e Bebidas de um grande e importante hotel de Brasília”, conta.

Após alguns anos ocupando este posto, Diego conquistou experiência e continuou investir em seu crescimento, com isso tornou-se responsável por serviços exclusivos, direcionados a chefes de estados e governos, além de ter o privilégio de coordenar equipes que atenderam os principais presidentes mundiais. “Me identifiquei com a empresa e a recíproca aconteceu. Com o passar do tempo, recebi uma proposta de mudança para o Rio de Janeiro para atuar no principal hotel da rede, onde ainda me encontro”, disse.
O papel do Job Hunter foi fundamental para carreira de Diego, para ajudá-lo a reestruturar o currículo, desenhar quais eram seus objetivos e potenciais e acessar o mercado da forma correta. E esses são os motivos que devem levar a contratação de um Job Hunter.

Quais os modelos de trabalho de um Job Hunter?
Basicamente duas situações podem levar uma pessoa a desejar contratar um Job Hunter: a necessidade de encontrar novas oportunidades de crescimento antes do desligamento e após o desligamento ou um longo período sem trabalho. No primeiro caso pode-se dizer que o trabalho será feito no modelo preventivo e no segundo no de recolocação.

Confira como funciona cada um:
O Modelo Preventivo é uma orientação durante a permanência do profissional na empresa, onde o mesmo pode estar insatisfeito. Neste caso, o Job Hunter poderá auxiliar na compreensão das suas competências técnicas e comportamentais, principalmente no que diz respeito a forma como o profissional projeta sua imagem na empresa. Com informações concretas, o profissional terá condições de realizar movimentações que poderão resultar em uma mudança de área ou promoção interna. Em alguns casos, a busca por uma nova oportunidade no mercado de trabalho é levada em consideração.

Já o Modelo de Recolocação é uma orientação durante a transição de carreira, após o desligamento ou durante período de longa permanência sem trabalho. Acontece através de análise de perfil pessoal e profissional, análise das competências exigidas pelo mercado, estratégia de abordagem em relação ao mercado e orientações de comunicação com o mercado. Neste caso, o profissional perceberá quais são as condições de competitividade no mercado de trabalho, os segmentos a serem atingidos e os melhores caminhos a serem traçados para encontrar a empresa e função adequadas.
Os dois modelos são importantes para que o profissional adquira autoconhecimento e tenha mais compreensão de sua essência e como utilizá-la para projetar sua imagem no mercado.

Como analisar a credibilidade de um Job Hunter?
Job-Hunting• Verifique quanto tempo ele tem de atuação no mercado. Quanto mais tempo provavelmente mais contatos ele terá;
• Avalie se a empresa ou profissional é especializada em alguma área de atuação ou perfil profissional. Isso também garante que o conhecimento do mercado-alvo será mais amplo.
• Certifique-se de que receberá os serviços pelos quais pagou (orientação, análise do currículo, indicação em processos seletivos, etc)
• Verifique se não há reclamações contra o profissional ou empresa e se há boas referências.

13. outubro 2014 · Comentários desativados em Você sabe como tornar as reuniões mais produtivas? · Categories: Artigos, Gestão de Carreira, Gestão de Pessoas, Hotelaria de Fato

reuniões produtivas_menor

Comece a semana organizada e com um novo jeito de encarar as reuniões

Toda terça-feira, 10h, encontro de toda equipe para discussão de demandas e cumprimentos de decisões. Fim da reunião, 12h30, todos com fome, pouco concentrados e nenhuma ação 100% definida. Situações como essas acontecem em muitas empresas e o tempo que se perde em reuniões intermináveis podem contribuir para um considerável atraso na entrega dos trabalhos.
Uma boa parte do período dedicado à reunião é perdido por falta de preparo, ausência de foco e excesso de assuntos a serem discutidos.
Conheça algumas dicas do escritor Daniel Costa, autor do livro Não Existe Gestão sem Comunicação, onde ele afirma que os colaboradores devem ser orientados a otimizar o tempo do grupo e tornar as reuniões mais proveitosas.

* Crie regras para o time
* Determine e comunique o objetivo da reunião
* Estabeleça um tempo máximo
* Durante a reunião, respeite a pauta
* Faça uma ata

22. setembro 2014 · Comentários desativados em Faça seus funcionários felizes! · Categories: Artigos, Gestão de Carreira, Gestão de Pessoas, Hotelaria de Fato

funcionários felizes_menor

Uma equipe feliz é uma equipe que produz. Essa afirmação não é de nenhum pensador, mas pode ser de grandes líderes – e não chefes. Boa parte do sucesso de um negócio depende de seus colaboradores e, nada melhor que uma equipe feliz. O primeiro passo para a alegria é ajudar cada um dos funcionários a atingir as metas exigidas, pois quando um colaborador percebe que está crescendo, trabalha mais para o sucesso da empresa.

Ter orgulho de onde trabalha faz bem para todo mundo. Saber que seu tempo e esforço contribuem para o crescimento da empresa e, consequentemente, o seu também é um dos fatores que cria um senso de união entre todos. Cuide para que toda sua equipe seja respeitada e tome conta para que necessidades simples e cotidianas sejam atendidas, desde saber como estão de saúde, seus familiares, até as mais complexas, como problemas no local de trabalho, benefícios, etc. Cuide de sua equipe como se ela realmente fosse sua família, pois a verdade é que passamos mais tempo no trabalho do que com nossos familiares e amigos. Atitudes como essa diminuirão gastos com troca de pessoal e formará um grupo mais coeso e produtivo.

Boa semana!